Maçãs podres

O termo maçã podre, apesar de bastante forte, serve para descrever uma situação bastante delicada na formação e gerenciamento de times. Chamamos de maçã podre (rotten apple) a pessoa que destoa negativamente do resto do time e que, com seu comportamento, poderá estragar a equipe.

A InfoQ falou bastante sobre esse tema da maçã podre do ponto de vista técnico, o under-performer, aquele que é ou está tecnicamente abaixo do resto da equipe. Esse post da InfoQ é um resumo de um thread na lista Scrum Development no Yahoo! Groups que gerou mais de 100 mensagens sobre o tema.

Agora, o que fazer quando nos deparamos com uma maçã podre do ponto de vista comportamental? Alguém que é tecnicamente bom, mas que tem problemas de comportamento? Tecnicamente essa pessoa pode ter bastante para contribuir para o time mas seu comportamento faz com que o time não consiga ter um bom relacionamento com essa pessoa.

Nesses casos há dois caminhos a seguir. O mais simples é tirar essa pessoa do time. Essa é uma solução fácil tanto para o time quanto para o seu líder. A tendência numa situação dessas é o time isolar a pessoa difícil até que ela, por vontade própria ou por decisão do chefe, saia do time.

O caminho mais difícil, mas que certamente trará mais benefícios para a equipe, é ajudar essa pessoa difícil a se integrar ao time ao ponto de essa pessoa deixar de ser uma maçã podre.

É fácil receber no time pessoas fáceis de lidar. O desafio é receber uma pessoa difícil e ajudá-la a se integrar ao time. Os valores do time devem ser mais fortes que os valores da pessoa difícil ao ponto de os valores do time serem absorvidos e assumidos pela pessoa difícil.

Conversas francas com todo o time e com a pessoa difícil é um bom caminho. A transparência é essencial. Se houver boa vontade e disposição tanto do time quanto da maçã podre, há boas chances de a situação ser revertida.

Vale lembrar que, na maioria das vezes, uma maçã podre não quer ser maçã podre. Ela pode não se dar conta de que seu comportamento é prejudicial para o time. Ela pode ter tido experiências anteriores onde seu comportamento seria considerado normal. Por isso vale investir em ajudar o time e a pessoa difícil a se entenderem. Contudo, não dá para tentar indefinidamente fazer com que as coisas se ajeitem. É importante definir um prazo para reavaliar a situação e, caso ela não tenha se resolvido, talvez não haja outra opção a não ser tomar uma decisão mais difícil: dispensar uma ou mais pessoas do time.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *