Como medir a maturidade digital de uma empresa?

No meu último artigo, abordei a maturidade digital de uma empresa, ou seja, o quanto a empresa vem investindo em produtos digitais para potencializar seus resultados e o quanto seus resultados foram realmente potencializados pelos esforços digitais.

Mesmo sendo uma definição clara, podemos ir um pouco mais fundo para entender e até quantificar a maturidade digital de uma empresa.

Maturidade digital e cultura do produto

Cultura de produto significa o conjunto de valores e comportamentos que permite que o produto digital gere os melhores resultados para a empresa enquanto resolve os problemas dos clientes.

Existem 4 valores/comportamentos principais que são obrigatórios para qualquer empresa que construa produtos digitais de sucesso:

1. Entregas antecipadas e frequentes

Quanto mais cedo apresentarmos o produto aos nossos usuários, melhor, pois poderemos receber feedback de usuários reais que poderão usar o produto em seu próprio contexto. Neste artigo, explico as 4 razões pelas quais é tão importante lançar cedo e com frequência: (i) este é o momento da verdade, (ii) para evitar o excesso de recursos, (iii) para acelerar o retorno do investimento e (iv) evitar os perigos do cone de incerteza.

Para medir se a equipe de desenvolvimento de produtos está lançando com antecedência e com frequência, precisamos medir o número e a frequência dos lançamentos. Uma empresa chamada DORA (DevOps Research and Assessment), adquirida pelo Google em 2018, vem pesquisando as práticas de DevOps e SRE utilizadas pelas empresas desde 2015 e conseguiu categorizar a entrega de software e o desempenho operacional das empresas com base em 4 fatores:

  • Frequência de deploy: com que frequência sua organização coloca código em produção e libera para usuários finais?
  • Lead time: qual é o seu lead time para mudanças (ou seja, quanto tempo leva para ir do código desenvolvido para o código sendo executado com sucesso em produção)?
  • Tempo para restaurar: quanto tempo geralmente leva para restaurar o serviço quando ocorre um incidente de serviço ou um defeito que afeta os usuários (por exemplo, interrupção não planejada, deficiência de serviço)?
  • Percentual de falha de alteração: qual porcentagem de alterações em produção ou lançamentos para usuários resulta em serviço degradado (por exemplo, tempo até a deficiência ou interrupção do serviço) e, posteriormente, exige correção (por exemplo, exigir um hotfix, rollback, fix forward, patch)?

Com base nas respostas, é possível ter uma métrica de desempenho de entrega de software, conforme detalhado abaixo:

Métrica de performance de entrega de software

A DORA conseguiu reunir durante os sete anos de pesquisa mais de 32.000 respostas de profissionais do setor e notou uma evolução interessante:

Evolução da métrica de desempenho de entrega de software ao longo dos anos

Você pode responder a essas perguntas diretamente no site deles para verificar como estão se saindo.

Quanto mais uma equipe de desenvolvimento de produto se aproxima do nível de elite descrito acima, mais a empresa está digitalmente madura nesse valor/comportamento.

2. Foco no problema

Conforme explicado neste artigo, um passo muito importante na criação de uma boa solução é entender o problema. Quando ouvimos falar de um problema, imediatamente começamos a pensar em soluções. No entanto, quanto mais tempo passamos aprendendo sobre o problema, mais fácil será encontrar uma solução, e as chances são boas de que essa solução seja mais simples e rápida de implementar do que a primeira solução que pensamos.

As equipes de implementação de soluções são equipes que trabalham na implementação de uma solução criada por outra pessoa. Equipes de resolução de problemas são equipes que trabalham para entender profundamente as causas do problema, o contexto e a motivação que as pessoas têm para resolvê-lo. Ao fazer isso, eles são capazes de implementar a melhor solução para o problema em questão.

Trabalho há algum tempo em empresas em transformação digital ou que possuem pessoas, inclusive C-level, não familiarizadas com métodos de desenvolvimento de produtos digitais. Um dos maiores desafios das empresas em transformação digital é passar de uma mentalidade de “negócios demanda => tecnologia implementa” para uma mentalidade de “negócio traz problemas/necessidades => tecnologia trabalha na compreensão desses problemas/necessidades com o usuário, testando hipóteses de solução e implementando uma hipótese de solução validada”.

Como podemos medir o quanto uma equipe de desenvolvimento de produto está focada em problemas? Minha sugestão é examinar as últimas 10 a 20 funcionalidades que a equipe implementou e verificar como a necessidade de cada uma das funcionalidades implementadas chegou à equipe de desenvolvimento do produto. Chegou como uma solicitação de funcionalidade, ou seja, uma solicitação de implementação de solução? Ou chegou como um problema a ser resolvido? Quanto mais coisas chegam à equipe de desenvolvimento de produtos como problemas a serem resolvidos, mais a empresa está digitalmente madura nesse valor/comportamento.

3. Entrega de resultados

Além de ser capaz de entregar com antecedência e com frequência e estar focado em problemas, a equipe de desenvolvimento de produto tem que entregar resultados. Resultados de negócios, bem como resultados para o cliente e usuário do produto. Discuti esse valor neste artigo, onde deixei claro que entregar funcionalidades não é um resultado. Todas as funcionalidades são um meio que serve a um fim, o atingimento de um objetivo de negócio. É muito importante que tenhamos objetivos de negócio bem claros. Idealmente, os objetivos de negócio devem estar conectados ao resultado final, ou seja, aumentar a receita e/ou diminuir os custos.

Como podemos medir o quanto uma equipe de desenvolvimento de produtos está entregando resultados? Minha recomendação é dar uma olhada nos OKRs desta equipe de desenvolvimento de produto. Os objetivos e os resultados-chave devem estar ligados aos resultados da empresa e aos resultados dos clientes. Se encontrarmos OKRs que são tarefas ou OKRs que são métricas, mas métricas que não estão ligadas aos resultados da empresa e dos clientes, fica claro que a equipe de desenvolvimento de produtos não está focada em entregar resultados. Normalmente, uma equipe de desenvolvimento de produto tem mais de um objetivo e mais de 3 resultados-chave. Podemos analisar todos os objetivos e resultados-chave para verificar sua conexão com os resultados da empresa e do cliente como um sim ou não. Quanto mais sim encontramos, ou seja, quanto mais objetivos e resultados-chave encontramos ligados aos resultados da empresa e do cliente, mais a empresa está digitalmente madura nesse valor/comportamento.

4. Mentalidade de ecossistema

Esse valor/comportamento significa tomar decisões que criem valor para todos os atores do ecossistema onde a empresa atua. Essas decisões não podem prejudicar nenhum dos participantes do ecossistema. Neste artigo eu expliquei detalhadamente com um exemplo do Gympass da aplicação da mentalidade de ecossistema na prática. Se a empresa for uma plataforma ou marketplace, esse valor/comportamento é bastante fácil de entender, mas também se aplica se o negócio não é plataforma nem marketplace. Se você é um negócio com um tipo único de cliente, o ecossistema é formado pelo cliente e pelo seu negócio, e esse valor/comportamento significa que você não pode tomar decisões que beneficiem o negócio mas prejudiquem o cliente ou vice-versa. Você pode tomar decisões que beneficiem esse negócio e não afetem o cliente, mas não pode tomar decisões que prejudicam o cliente. E vice-versa, você não pode prejudicar o negócio em benefício do cliente. Esse valor/comportamento se baseia no conceito centrado no cliente, mas o expande para incluir todos os diferentes clientes e o o próprio negócio nessa mentalidade.

Como podemos medir se a empresa tem uma mentalidade ecossistêmica? Minha sugestão neste caso é analisar as últimas 10 a 20 decisões tomadas e verificar para quem elas agregaram valor e se alguma delas gerou impacto negativo em algum dos participantes do ecossistema.

Como medir a maturidade digital de uma empresa?

Utilizando os valores e comportamentos acima, podemos avaliar o quão madura digitalmente é uma empresa e, mais importante, definir quais devem ser nossas áreas de foco para melhorar sua maturidade digital. Responda as 4 perguntas abaixo para auto-avaliar sua maturidade digital.

Entregas antecipadas e frequentes: depois de fazer a verificação rápida do DevOps da DORA nos 4 fatores (frequência de deploy, lead time, tempo para restaurar e percentual de falhas de alteração), como você se classifica?

(a) Elite

(b) Alta

(c) Médio

(d) Baixo

Foco no problema: quanto das entregas da equipe de desenvolvimento de produtos originou-se de solicitações de implementação de soluções?

(a) 0%

(b) Menos de 5%

(c) Entre 5% e 50%

(d) Mais de 50%

Entrega de resultados: quanto dos OKRs da equipe de desenvolvimento de produtos estão ligados aos objetivos da empresa?

(a) Todos!

(b) Mais de 90%

(c) Entre 50% e 90%

(d) Menos de 50%

Mentalidade de ecossistema: quanto das últimas decisões impactaram negativamente um dos atores do ecossistema?

(a) 0%

(b) Menos de 5%

(c) Entre 5% e 50%

(d) Mais de 50%

Agora, para cada (a) adicione 4 pontos, para cada (b) adicione 3 pontos, para cada (c) adicione 2 pontos e para cada (d) adicione 1 ponto. O total indica sua maturidade digital:

Maturidade digital
13 pontos ou maisAlta: Parabéns. Você tem alta maturidade digital. Isso significa que sua empresa vem investindo em produtos digitais para potencializar seus resultados e os resultados de sua empresa foram muito potencializados pelos esforços digitais. Seu foco agora deve estar em constante evolução de suas habilidades digitais.
Entre 12 e 6 pontosMédio: Você está no caminho certo. Sua empresa está começando a investir em produtos digitais para potencializar seus resultados e você está começando a ver os resultados da sua empresa sendo realmente potencializados pelos esforços digitais. Espero que, respondendo as perguntas acima, você tenha agora um bom entendimento sobre onde focar para aumentar sua maturidade digital e, consequentemente, melhorar seus resultados com seus produtos digitais.
5 pontos ou menosBaixo: Você está iniciando sua jornada digital. Sua empresa está investindo um pouco em produtos digitais para potencializar seus resultados e você ainda não viu muito dos resultados da sua empresa sendo realmente potencializados pelos esforços digitais. A recomendação para você é que continue investindo na construção de sua cultura de produto digital para que possa obter cada vez mais resultados com seu investimento.

Então aí está, uma maneira simples de avaliar sua maturidade digital.

Exemplos da vida real

Entrei no Gympass em meados de 2018 e, quando entrei, ficou claro que havia espaço para melhorias em nossa maturidade digital. O mesmo aconteceu quando me juntei à Lopes em meados de 2020. Em ambos os casos, focamos em melhorar os comportamentos que poderiam nos levar a uma crescente maturidade digital.

Alguns comentários finais importantes:

  • Os exemplos acima são do que me lembro da época em que trabalhei nessas empresas. O ideal é que esse tipo de avaliação seja feita considerando os comportamentos atuais com respostas dos líderes da empresa e da equipe de desenvolvimento de produtos. Essa avaliação deve ser feita periodicamente, a cada 6 meses ou a cada ano.
  • É possível ter empresas com o mesmo score de maturidade digital, mas com comportamentos diferentes para focar no que fazer para melhorar a maturidade digital, como são os casos de Gympass e Lopes nos exemplos acima.
  • Mais importante do que conhecer o estágio de maturidade digital de uma empresa ou a pontuação que ela possui, é saber quais são as principais áreas que a empresa e a equipe de desenvolvimento de produtos devem focar para melhorar sua maturidade digital.
  • Conhecer e melhorar a maturidade digital é apenas uma ferramenta, não um objetivo. É uma ferramenta para ajudar uma empresa a extrair mais seus esforços digitais. É uma ferramenta para ajudar uma empresa a atingir seus objetivos e resultados.

Resumindo

  • A maturidade digital de uma empresa significa o quanto a empresa vem investindo em produtos digitais para potencializar seus resultados e o quanto os resultados foram realmente potencializados pelos esforços digitais.
  • Para medir a maturidade digital, precisamos avaliar como a empresa está em cada um dos 4 valores e comportamentos de sua cultura de produto digital. Entrega antecipada e frequente. Foco no problema. Entrega de resultado. Mentalidade de ecossistema.
  • Conhecer e melhorar a maturidade digital é apenas uma ferramenta, não um objetivo. É uma ferramenta para ajudar uma empresa a extrair mais de seus esforços digitais. É uma ferramenta para ajudar uma empresa a atingir seus objetivos e resultados.

Educação, treinamento e aconselhamento em gestão de produtos digitais

Tenho conectado negócios e tecnologia por meio de educação, treinamento e aconselhamento em gestão e desenvolvimento de produtos digitais. Ajudo líderes de produto (CPOs, heads de produtos, CTOs, CEOs, tech founders, heads de transformação digital) a extrair mais valor e resultados de seus produtos digitais. Veja aqui como posso ajudar você e a sua empresa.

Newsletter

Escrevo reguIarmente sobre gestão de produtos, desenvolvimento de produtos, liderança de produtos digitais e transformação digital. Vc pode receber uma notificação por email sempre que eu publicar algo novo, sem depender dos algoritmos de notificação de redes sociais. Basta assinar minha newsletter:

Gestão de produtos digitais

Você trabalha com produtos digitais? Quer saber mais sobre como gerenciar um produto digital para aumentar suas chances de sucesso, resolver os problemas do usuário e atingir os objetivos da empresa? Confira meu pacote de gerenciamento de produto digital com meus 3 livros, onde compartilho o que aprendi durante meus mais de 30 anos de experiência na criação e gerenciamento de produtos digitais. Se preferir, pode comprar os livros individualmente:

Leave a Reply

Your email address will not be published.