Devemos ter uma equipe de inovação dedicada?

Essa é uma pergunta que tenho recebido muito nas minhas sessões de coaching, então imagino que sua resposta pode interessar a mais pessoas. A resposta curta é “não e sim” que, eu sei, não responde muito. É a famosa e não tão útil resposta “depende” usada para responder a muitas perguntas de gerenciamento de produtos. Então vou expandir a resposta “não e sim” trazendo alguns exemplos da minha experiência.

Não, não devemos ter uma equipe de inovação dedicada

Às vezes, somos tentados a criar uma equipe de inovação dedicada porque todas as nossas equipes existentes já têm os tópicos do dia-a-dia para cuidar. Eles não têm espaço em sua agenda para inovar, então vamos criar uma equipe separada para se concentrar em explorar inovações.

Bem, essa não é a mentalidade certa para se ter. Todas as nossas equipes existentes não devem simplesmente ter algum espaço para inovar, mas seu trabalho diário deve ser explorar inovações.

Como? As equipes de desenvolvimento de produto devem ser equipes de solução de problemas ou, como diz Marty Cagan, equipes de produto empoderadas, ou seja, recebem problemas para resolver e resultados para alcançar e o fazem criando soluções para esses problemas. Com um problema a ser resolvido e um resultado a ser alcançado em mãos, a equipe fica livre para experimentar diferentes opções de solução, e é exatamente assim que nascem as inovações.

Se forçarmos nossas equipes de desenvolvimento de produtos a operar no modo implementador de soluções ou, como Marty Cagan as chama, como equipes de funcionalidades, não haverá espaço para inovações. Eles estarão trabalhando na implementação de soluções criadas por outras pessoas, pessoas que não têm experiência e conhecimento suficientes do que é possível fazer com a tecnologia. Portanto, é muito difícil criar inovações com equipes operando no modo implementador de soluções.

Então, para estimular todas as suas equipes de desenvolvimento de produtos a inovar, elas precisam ter um objetivo, um problema para resolver, para que possam testar soluções diferentes e talvez chegar a soluções novas e inéditas.

Na Lopes, a maior imobiliária do Brasil, onde liderei o Lopes Labs, a equipe de tecnologia e inovação entre 2020 e 2022, usávamos OKRs para definir os objetivos e principais resultados que queríamos alcançar e acompanhamos esses objetivos e principais resultados semanalmente. Com isso as equipes ficavam livres para definir o que implementar para alcançar os principais resultados.

Tínhamos também hackdays trimestrais, 3 dias no início do trimestre quando o pessoal do Lopes Labs formava novas equipes temporárias para resolver os problemas propostos pelas próprias equipes. Muitas inovações interessantes nasceram durante os hackdays. Essa é uma técnica que também usei na Locaweb e no Gympass com resultados muito bons em termos de criação de inovações.

Sim, devemos ter uma equipe de inovação dedicada

Por outro lado, pode haver alguns problemas ou oportunidades que podem precisar de uma equipe dedicada. Problemas ou oportunidades que não estão no domínio central de nenhuma das equipes e podem ser uma distração para elas podem exigir uma nova equipe de inovação dedicada.

Na Lopes começamos a usar uma técnica emprestada de nossos amigos do iFood chamada equipes Jet Ski, para resolver esse tipo de problema que não era do domínio central de nenhuma das equipes. As equipes de jet ski são equipes pequenas e dedicadas, reunidas temporariamente para resolver esse tipo de problema. Escolhemos pessoas com conhecimento e experiência específicos para construir a equipe de Jet Ski e as deixamos focadas na solução do problema em questão. Com certeza eles farão falta em suas equipes originais, e precisamos levar isso em conta, ou seja, determinados objetivos e resultados chave de suas equipes originais podem não ser atingidos, o que precisa ser levado em consideração na construção de equipes de Jet Ski. outro aspecto a ser considerado é, se a equipe for bem sucedida na criação e implementação de uma solução para o problema, quem cuidará dessa solução quando a equipe de Jet Ski for desmontada e seus membros retornarem às suas equipes originais.

Outra maneira de criar uma nova equipe de inovação dedicada é criar uma unidade de negócios com uma gerente geral e algumas pessoas para lidar com um problema ou oportunidade específica. Utilizámos esta abordagem no Gympass quando criámos no 2º semestre de 2019 três novas unidades de negócio. Uma focado em vender Gympass para PMEs, outra para criar um marketplace de produtos e serviços para academias e estúdios, e uma terceira, que liderei como gerente geral, para explorar a oportunidade de criar um marketplace de apps de bem-estar que acabou se tornando o Gympass Wellness. Esta é normalmente uma abordagem mais permanente .Por esse motivo, ao decidir criar uma nova unidade de negócio é sempre importante definir como as pessoas que se deslocam para a nova unidade de negócio serão substituídas nas suas posições atuais.

Resumindo

  • Devemos ter uma equipe de inovação dedicada? é uma pergunta que recebo com frequência nas minhas sessões de coaching. A resposta curta é “não e sim”.
  • Não porque toda a equipe deve ter espaço para inovar. A equipe deve ter objetivos e problemas para resolver, e usar seu conhecimento para criar possíveis soluções para esses problemas a fim de alcançar os resultados. Estas soluções podem ser muito inovadoras se os times tiverem espaço para experimentar.
  • Sim, porque há circunstâncias em que problemas ou oportunidades que queremos abordar não estão no domínio central de nenhuma das equipes e podem ser uma distração para elas. É aí que podemos precisar de uma nova equipe de inovação dedicada. Já utilizei 2 técnicas para criar novas equipes de inovação dedicadas. Uma delas é uma técnica criada pelas equipes do iFood chamada de equipes Jet Ski. São equipes pequenas e dedicadas reunidas temporariamente para enfrentar esse tipo de problema. A outra é a criação de unidades de negócios, pequenas equipes permanentes que trabalharão focadas no problema ou na oportunidade.

Novidade: treinamento público sobre visão e estratégia

É por isso que estou lançando meu primeiro treinamento aberto ao público, para ajudar os líderes de produto a criarem a visão e estratégia de seus produtos. Na verdade, neste treinamento vamos fazer isso juntos. As vagas são muito limitadas, então garanta já a sua!

Educação, treinamento e aconselhamento em gestão de produtos digitais

Tenho ajudado empresas a conectar negócios e tecnologia por meio de educação, treinamento e aconselhamento em gestão e desenvolvimento de produtos digitais. Ajudo líderes de produto (CPOs, heads de produtos, CTOs, CEOs, tech founders, heads de transformação digital) a extrair mais valor e resultados de seus produtos digitais. Veja aqui como posso ajudar você e a sua empresa.

Newsletter

Escrevo reguIarmente sobre gestão de produtos, desenvolvimento de produtos, liderança de produtos digitais e transformação digital. Vc pode receber uma notificação por email sempre que eu publicar algo novo, sem depender dos algoritmos de notificação de redes sociais. Basta assinar minha newsletter.

Gestão de produtos digitais

Você trabalha com produtos digitais? Quer saber mais sobre como gerenciar um produto digital para aumentar suas chances de sucesso, resolver os problemas do usuário e atingir os objetivos da empresa? Confira meu pacote de gerenciamento de produto digital com meus 3 livros, onde compartilho o que aprendi durante meus mais de 30 anos de experiência na criação e gerenciamento de produtos digitais. Se preferir, pode comprar os livros individualmente:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *