Mais sobre product parenting e uma "micro-aula" de liderança

Mais um texto interessante sobre ver a função de gerenciar produtos como product parenting de Eric Sink fundador de uma empresa de desenvolvimento de software chamada SourceGear, que desenvolve ferramentas de versionamento de software. Antes de fundar a SourceGear, ele trabalhou na Spyglass como líder do projeto de desenvolvimento de um browser conhecido como Mosaic que posteriormente acabou virando o Internet Explorer.

mosaic

No começo há um pouco de confusão entre as funções de product management e product marketing, que são funções diferentes como explicado por Marty Cagan.

Depois dessa confusão inicial, Eric Sink dá um enfoque um pouco diferente do que comentei no meu post anterior, onde a comparação com parenting serve para ver essa responsabilidade como uma responsabilidade compartilhada entre o gerente de produtos e o time de desenvolvimento. Já no post do Eric Sink o enfoque dado é sobre as diferentes fases em que o produto passa, como se fossem as fases de desenvolvimento de uma criança.

  1. preparar
  2. cuidar
  3. escutar
  4. falar
  5. balancear
  6. deixar seguir seu rumo

É uma forma simplista de se ver a gestão de produtos, mas a idéia geral é bacana. E os contra-exemplos são muito ilustrativos.

criança

De quebra, no começo do texto ele dá uma “micro-aula” sobre liderança em empresas de tecnologia:

A Brief but Reasonably Complete Lecture on Managing People in a Software Company

Stop treating them like children.

That’s it?

Yep, that’s it. Stop treating them like children.

If you follow this rule and all of its corollaries, you will be a competent manager, thus placing you in the top one percent of all managers in the software industry.

Software professionals are grownups. They do not deserve to be treated like children.

Isso serviu ao autor do post para justificar que gestão de pessoas não é parenting mas gestão de produtos é muito parecido com parenting.

Eu só adicionaria a essa “micro-aula” de liderança mais uma frase: if you have professionals that deserve to be treated like children, they do not deserve to be in your team.

Veja também:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *